Os direitos da Crianças e Adolescentes em discussão em Reserva

710 0

A Secretaria de Assistência Social e Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente de Reserva, realizaram neste dia 30 de novembro a 10ª Convenção dos direitos da Crianças e Adolescentes, ocasião em que foram tratados assuntos referente aos temas;
1ª- Garantia dos direitos e Políticas Públicas Integradas e Inclusão Social;
2ª – Prevenção e Enfrentamento de Violência Contra Crianças e Adolescentes;
3ª – Orçamento e Financiamento das Políticas Para Crianças e Adolescentes;
4ª – Comunicação Social e Protagonizo de Crianças e Adolescentes;
5ª – Espaços de Gestão e Controle Social das Políticas Públicas de Crianças e Adolescentes.

A mesa foi formada por Elisângela Gren – Presidente do Conselho tutelar, o Pastor Pedro Henrique Pessoa do Lago – Representantes das Igrejas Evangélicas e Comunidade Civil, Luciane Fernandes Vieira – Presidente do Conselho Municipal dos Direitos da Criança e Adolescente, Gilmara Tertuliano Doff Sotta – Secretária de Assistência Social, Angeli Pontes – Representante dos Adolescentes. Mais os presentes na platéia os Diretores de Escolas, Secretários,
Pedagogia do Estado, Agentes de saúde, Defesa Civil, Secretaria de Assistência Social alunos.

Nesta conferencia todos os representantes apresentaram propostas de ações imediatas referente aos cinco temas discutido, e após uma longa discussão e diante de um diagnóstico social possibilitou detectar, por região os principais problemas sociais de nosso município. De posse destas informações, tornou se possível o desenvolvimento de um trabalho conjunto entre assistência social, Conselhos e Comunidade, para buscar as soluções. Conforme dados do IBGE de 2010, a população de reserva é de 25.172 mil habitantes; e a faixa etária infanto juvenil,
de 0 a 19 anos , com 9.665 pessoas, abrange 38 % dos habitantes do município. O diagnóstico permitiu identificar as principais violações na área da criança e do adolescente, como abuso e violência sexual, exploração do trabalho infantil, maus tratos com violência física e ou psicológica, gravidez na adolescência e moralidade infantil, uso de substancias psicoativas, entre outras. Baseando nesse diagnostico, todos os envolvidos, chegaram a uma realidade de primarias
necessidades para o nosso município. Essas irão compor uma solicitação a uma conferência estadual e uma conferencia nacional.

Deixe seu comentário para a noticia

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *